Skip to content
Imagem Yzalu com fundo rosa

Seja no salão especializado na estética negra que o pai tinha em São Bernardo do Campo; nos concursos em bailes blacks que a mãe participava; ou ouvindo os vinis que lhe faziam companhia na infância, o fato é que a música sempre fez parte da vida da rapper @yzalu. Aos 15 anos, ela teve o seu primeiro violão e foi com ele que sentiu que a música a tinha escolhido. Em 2003, começou a se aproximar do rap e, desde então, canta e cria letras que retratam a vida de uma mulher orgulhosamente negra, feminista e periférica. Hoje, Yzalú tem uma rotina totalmente voltada para a música: passa até 8h por dia em estúdio, onde faz questão de comandar e supervisionar de perto seus projetos. Nos intervalos, se dedica à Nave Maria, sua produtora artística independente, que cuida, atualmente, da carreira da rapper negra trans Monna Brutal. No vídeo, ela conta sobre dois encontros que definiram sua trajetória: com o rap e o feminismo negro.

3 coisas para aprender nesse vídeo:

1 - Informação é poder.

2 - Continue apesar dos obstáculos.

3 - Não deixe de ouvir seu coração.

Faça parte da conversa